Rácios de Gestão de Empresas e Análise Financeira

    Marta Santos

    Os Rácios de Gestão de Empresas oferecem ao empresário, ou outros interessados, informações sobre o desempenho e evolução dos seus negócios. Estes indicadores estabelecem relações entre as contas das demonstrações financeiras, Balanço e Demonstração de Resultados para quantificar factos, detetar anomalias e fazer comparações no tempo.

    Existem inúmeros rácios que podem ser aplicados às empresas, porém os mais usuais são os Rácios Económicos e os Rácios Financeiros.

    Rácios Financeiros

    Rácio de Endividamento Compara o nível de dívida que a empresa contraiu para financiamento da sua atividade, ou nos casos de particulares, o valor de dívida com os rendimentos obtidos.
    Capitais Alheios Capitais Totais
    Rácio de Recuperação de Dívida É uma estimativa do tempo necessário para a empresa poder pagar as suas dívidas.
    Dívida Total em Empréstimos Autofinanciamento
    Rácio de Liquidez  É utilizado na concessão de Créditos de Curto Prazo.
    Ativo Circulante Passivo Circulante
    Rácio de Solvabilidade Apresenta a capacidade da empresa em solver as suas dívidas.
    Capital Próprio Passivo Total
    Rácio de Autonomia Financeira Expressa a participação do Capital Próprio no financiamento da empresa.
    Capital PróprioAtivo Total

    Rácios Económicos

    Rentabilidade das Vendas Mostra-nos o lucro obtido por cada unidade monetária vendida.
    Resultado LíquidoVendas (do período em análise)
    Rentabilidade dos Capitais Próprios Permite ao investidor concluir se a rentabilidade do capital investido está ao nível expectável, e comparar o rácio com as alternativas no mercado.
    Resultado Líquido Capitais Próprios
    Prazo Médio de Recebimentos Mostra-nos o tempo médio necessário para receber dos clientes.
    Saldo ClientesTotal Vendas c/IVA

    x 365

    Prazo Médio de Pagamentos Mostra-nos o tempo médio utilizado pela empresa para pagar aos seus fornecedores.
    Saldo FornecedoresTotal Vendas c/IVA

    x 365

    Prazo Médio de Stocks Mostra-nos o tempo médio de stockagem dos produtos.
    Existências CMVMC – Custo Vendas

    x 365

     

    Rácios de Análise Financeira

    A análise de rácios de Análise Financeira permite entender a evolução de uma empresa em determinados contextos, mas não retirar conclusões sobre o seu desempenho. A tomada de decisões deve ter por base a análise e interpretação dos indicadores económico-financeiros, observados ao longo do tempo, e tendo por comparação a análise setorial e dos concorrentes, apoiadas na leitura das demonstrações financeiras.

    Assim, os indicadores que iremos apresentar são os principais que poderão ser úteis na interpretação e compreensão da análise financeira de uma empresa. Nomeadamente, os indicadores que se relacionam com a estrutura financeira, liquidez, rentabilidade, funcionamento e risco.

    Estrutura Financeira

    Autonomia Financeira Reflete a solidez financeira e a capacidade das empresas para cumprirem as suas obrigações não correntes.
    Capital PróprioAtivo

    x 100

    Solvabilidade geral Permite avaliar a capacidade de uma empresa garantir liquidação do seu passivo com recurso aos seus capitais próprios.
    Capital PróprioCapital Alheio

    Liquidez

    Liquidez Geral Evidencia em que medida as obrigações de curto prazo estão cobertas pelos ativos que podem ser convertidos em “liquidez” no prazo de um ano.
    Ativo CirculantePassivo Circulante
    Liquidez Reduzida Tem a mesma finalidade da anterior, mas exclui do numerador dos ativos correntes menos líquidos.
    Ativo Circulante – InventárioPassivo Circulante
    Liquidez Imediata É utilizada para conhecer a capacidade de a empresa cumprir com as suas obrigações no curto prazo, apenas com os seus meios financeiros.
    Meios FinanceirosPassivo Circulante

    Rentabilidade

    Rentabilidade das vendas Reflete a rentabilidade da empresa após terem sido considerados os gastos de exploração. Indica quanto é que cada venda contribui para a obtenção do resultado do exercício.
    Resultado de ExploraçãoVolume de Negócios
    Margem EBITDA Tem sido considerada de interesse para se ter uma perspetiva de rentabilidade da empresa sem afetação dos financiamentos, das amortizações e provisões e impostos sobre lucros.
    EBITDAVolume de Negócios
    Rentabilidade do Capital Próprio Representa a remuneração do capital investido pelos retentores de capital.
    Resultado LíquidoCapital Próprio

    Funcionamento

    Prazo Médio de Pagamentos Mede a celeridade (em dias) com que a empresa costuma pagar as suas dívidas aos fornecedores.
    FornecedoresCompras + FSE

    x 365

    Prazo Médio de Recebimentos Traduz a rapidez com que a empresa recebe dos seus clientes.
    ClientesVolume de Negócios

    x 365

    Prazo Médio de Rotação dos Inventários Traduz o tempo que os inventários estão em armazém.
    InventáriosCMVMC

    x 365

    Risco

    Ponto Crítico Corresponde ao nível de atividade em que a empresa não tem lucro nem prejuízo operacional.
    Gastos Fixos(1 – Gastos Variáveis / Volume de Negócios)
    Margem de Segurança Traduz o nível de segurança com que a empresa trabalha.
    Volume de NegóciosPonto Crítico – 1
    GAF Define-se como variação percentual que ocorre nos resultados antes de impostos decorrentes de uma variação percentual nos resultados operacionais.
    EBITResultado Antes de Impostos

     

    Necessita de melhorar o controlo do seu negócio?

    Contacte a nossa equipa para saber como podemos ajudar a sua empresa.

    info@neomarca.eu | 289 098 720 | 915 990 790