Turismo Europeu – Tendências e Perspetivas

    Turismo Europeu Tendências e Perspetivas

    O ano de 2019 começou com uma nota positiva para o setor de turismo europeu após o sólido desempenho em 2018 (+6%). A procura na Europa deverá manter uma trajetória ascendente em 2019 (3,6%), mas inferior à de 2018 (+6,1%). A maioria dos destinos continuou a crescer (+ 3,5% em média), embora a uma taxa mais lenta do que nos anos anteriores.

    O relatório trimestral da European Travel Commission (ETC) sobre O Turismo na Europa para 2019 já foi divulgado. Estas são as principais conclusões do estudo:

    • transporte aéreo global cresceu 4,6% nos primeiros quatro meses de 2019 em comparação com o mesmo período do ano anterior. A Europa é a região global que mais cresce, com um crescimento de 6,9%. No entanto, há maiores desafios pela capacidade restrita de controlo do tráfego aéreo e pelos atrasos e cancelamentos crescentes que se agravam durante os meses de pico de verão de 2019.
    • Os hotéis na Europa cresceram 2,1% nos primeiros cinco meses de 2019, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Isso representa uma pequena melhora no crescimento em relação ao desempenho do primeiro trimestre. O crescimento relativamente baixo da ocupação hoteleira aponta para potenciais restrições de capacidade nos hotéis, dados os altos níveis de ocupação e crescimento mais rápido em outros indicadores de procura.
    • O crescimento de mercados de origem não-europeus, os EUA e a China, continuam a destacar-se em termos de contribuições para o crescimento do turismo europeu, representando uma participação de 11% e 4%, respetivamente. Uma proporção maior do que o habitual dos destinos (18 de 27) relataram crescimento do Japão.
    • Os anos de turismo podem atuar como um catalisador para um crescimento mais rápido dos mercados em desenvolvimento e de longa distância. O Ano do Turismo UE-China em 2018 teve um impacto claro na procura de viagens para destinos ETC da UE e não UE.

     

    Perspetiva Económica

    O forte crescimento do PIB ou dos gastos dos consumidores é uma indicação do aumento da prosperidade com as pessoas mais propensas a viajar para o exterior. É também uma indicação do aumento da atividade comercial e, portanto, das viagens de negócios mais fortes. Os movimentos nas taxas de câmbio em relação ao euro podem ser igualmente importantes, uma vez que podem influenciar a escolha do destino.

    Por exemplo, se o euro se valorizasse em relação ao dólar americano, a Zona do Euro tornar-se-ia um destino mais caro e, portanto, potencialmente menos atraente para os visitantes dos EUA. Por outro lado, a depreciação do euro em relação ao dólar dos EUA tornaria a zona do euro um destino relativamente mais barato e, portanto, mais atraente para os viajantes dos EUA.

     

    Apesar dos obstáculos económicos globais, e dos mercados de longa distância da Europa continuam a sua procura por turismo europeu deverá manter uma trajetória ascendente em relação a 2019.

     

    Fonte: European Travel Commission (ETC)