Linha de Crédito Capitalizar 1,6 mil milhões de euros

    Linha de Crédito Capitalizar 16 mil milhões de euros

    O Ministério da Economia lançou a Linha de Crédito Capitalizar, destinada a micro e pequenas empresas, no montante de 1600 milhões de euros.

    Integrada no Programa Capitalizar, a Linha de Crédito Capitalizar, gerida pela PME Investimentos em articulação com o Sistema Nacional de Garantia Mútua, visa apoiar investimentos de longo prazo, criar condições mais vantajosas de financiamento para micro e pequenas empresas, alavancar a oferta de soluções de financiamento para investimentos em projetos com fundos comunitários, ampliar a oferta de operações de Fundo de Maneio, e alargar o acesso a plafonds de crédito a todas as empresas.

    Com montantes de financiamento por empresa entre 25 mil e 2 milhões de euros e com prazos entre 3 a 10 anos, a Linha de Crédito Capitalizar será disponibilizada nos balcões dos bancos protocolados, sendo estruturada da seguinte forma:

    Linha ‘Micro e Pequenas Empresas’
    – Dotação: 400 milhões de euros.
    – Objetivo: potenciar o acesso a financiamento para investimentos em ativos e reforço de capitais para micro e pequenas empresas.

    Linha ‘Fundo de Maneio’
    – Dotação: 700 milhões de euros.
    – Objetivo: financiar necessidades de fundo de maneio das empresas com financiamentos de médio prazo, em alternativa ao crédito de curto prazo e assim contribuir para uma maior estabilidade dos recursos financeiros ao seu dispor

    Linha ‘Plafond de Tesouraria’
    – Dotação: 100 milhões de euros.
    – Objetivo: alargar a oferta de crédito em sistema de revolving, conferindo uma maior flexibilidade à gestão corrente de tesouraria.

    Linha ‘Investimento Geral’
    – Dotação: 100 milhões de euros.
    – Objetivo: financiar investimentos em ativos com elevado prazo de recuperação.

    Linha ‘Investimento Projetos 2020’
    – Dotação: 300 milhões de euros.
    – Objetivo: alargar a oferta de crédito bancário para financiamento de projetos aprovados no âmbito do Portugal 2020, com enfoque em despesas elegíveis e outros segmentos de mercado em que a Linha de Crédito e Garantias IFD 2016-2020 possa vir a revelar-se insuficiente

     

    Fonte: IAPMEI