Mercados externos reforçam crescimento na hotelaria no final do ano

    Mercados externos reforçam crescimento na hotelaria no final do ano

    O INE revelou que em 2015 os estabelecimentos hoteleiros receberam 17,4 milhões de hóspedes, uma subida de 8,6% face ao ano anterior.  Em 2015 os estabelecimentos hoteleiros registaram 17,4 milhões de hóspedes e 48,9 milhões de dormidas (+8,6% e +6,7%, respetivamente). As dormidas de residentes fixaram-se em 14,5 milhões (+5,3%) e as de não residentes em 34,4 milhões (+7,3%).

    As  dormidas  de  residentes  corresponderam  a  870,7  milhares. Os mercados externos contribuíram com 1,4 milhões de dormidas, refletindo um aumento de 11,6% (face a +7,4% em novembro), o mais elevado nos meses de 2015 a par de janeiro.
    Em 2015 o mercado interno gerou 14,5 milhões de dormidas (+5,3%). As dormidas de não residentes em 2015 (34,4 milhões) aumentaram 7,3% (+9,3% em 2014 e +7,7% em 2013) e representaram 70,3% do total (+0,3 p.p.). Os doze principais mercados emissores são responsáveis por 82% das dormidas de não residentes face aos 80,8% de Dezembro de 2014.
    O mercado britânico (quota de 18,6%) evidenciou um aumento de 8,7% nas dormidas. Espanha obteve um acréscimo de 3,2% face a 2015. Os resultados do mercado alemão tiveram um crescimento mais acentuado face ao ano anterior (+6,9%).
    As  dormidas  de  hóspedes  provenientes  de  França  (8,2%  do  total)  registaram  um  aumento  de  11,4%.
    É de destacar também a evolução notoriamente positiva dos Estados Unidos (+32,5%) e da Irlanda (+29,2%), embora com aumento menos marcante em 2015.
    O Brasil e a Suécia registaram reduções no número de dormidas  em  dezembro  (-20,9%  e  -1,4%,  respetivamente),  tendo  o  ano  de  2015  terminado  com uma  redução  de  3,3%  no mercado brasileiro e um aumento de 0,7% no sueco.

    Os principais destinos  escolhidos pelos hóspedes vindos do estrangeiro foram as regiões de Lisboa (34,9%), Madeira (24,4%) e Algarve (22,3%). As  três principais  regiões  turísticas,  Algarve  (34,0%  das  dormidas  totais),  Lisboa  (25,1%)  e  Madeira  (13,5%) apresentaram crescimentos moderados em 2015, respetivamente +2,7%, +6,7% e +5,8%, com claro abrandamento nos casos do Algarve e Lisboa (+9,7% e +14,8% em 2014) e aceleração na Madeira (+4,1% no ano anterior).

    Em 2015, os proveitos totais aumentaram 13,1% e os de aposento 14,7%, a preços correntes, superando ligeiramente a evolução do ano anterior (+12,2% e +13,1%). Os proveitos de aposento, face aos totais, aumentaram o seu peso de 70,6% em 2014 para 71,6% em 2015.

    Os  hotéis  de  cinco  estrelas  registaram  o  valor  mais  elevado  do  RevPAR  (45,3  €),  seguidos  pelas pousadas (33,9 €).  Os resultados do RevPAR tiveram maior aumento nos apartamentos turísticos (+30,0%), nos hotéis de cinco estrelas (21,8%) e nas pousadas (+21,4%).  No período acumulado de janeiro a dezembro de 2015, o RevPAR foi 37,8 euros (+14,4%, face a +9,3% em 2014).

    Fonte: Económico; INE