Programa de Investimento em Territórios de Baixa Densidade

    Programa de Investimento em Territórios de Baixa Densidade

    A Turismo Fundos apoia projetos de investimento turístico em territórios de baixa densidade

    Estão abertas as candidaturas ao programa da Turismo Fundos que disponibiliza 25 milhões de euros para operações de investimento imobiliário em territórios de baixa densidade, com vista a dinamizar o investimento e a criação de emprego.

    O programa destina-se a pequenas e médias empresas cujos projetos de investimento traduzam a valorização económica dos ativos imobiliários através de atividades turísticas, ou outras relacionadas, que promovam o desenvolvimento, a dinamização e a sustentabilidade das economias locais e regionais.

     

    Como funciona este instrumento financeiro?
    a) Aquisição, através da Turismo Fundos, de ativos que preencham os requisitos, permitindo, com o produto dessa alienação, dotar as entidades proponentes dos meios financeiros necessários à valorização económica dos respetivos ativos imobiliários;

    1.    b) Celebração com a entidade proponente, simultaneamente com a aquisição a que se refere a alínea anterior, de um contrato de arrendamento sobre os respetivos imóveis, com opção de compra.
    2.    c) O valor por operação pode ascender até um valor máximo de €3.000.000.
    3.    d) O prazo do contrato de arrendamento é, no máximo, de 15 anos e, no mínimo, 3 anos.
    4.    e) A renda anual é igual a uma taxa de remuneração reduzida, correspondente à Euribor a doze meses, com mínimo zero, acrescida de 1,5%, aplicável sobre o valor da aquisição do imóvel por parte da Turismo Fundos.
    5.    f) À entidade proponente é permitido o exercício de uma opção de compra sobre o imóvel, que pode ser exercida a partir do 3.º ano de vigência do arrendamento e até ao término do respetivo prazo.

     

    A análise e critérios de seleção:

    1.    a) Contributo do projeto para a redução das assimetrias regionais e para a redução da sazonalidade na procura dos territórios;
    2.    b) Contributo do projeto para a valorização do património cultural e natural do país, assim como para o desenvolvimento sustentável das comunidades locais;
    3.    c) Grau de inovação do projeto a realizar com os meios financeiros disponibilizados pela operação;
    4.    d) Impacto da operação na estrutura financeira da entidade proponente.

     

    Legislação:

     

    Para mais informações sobre o procedimento de candidatura poderá contactar a nossa equipa através de info@neomarca.pt ou telefone 210 001 617 (Lisboa) e 289 098 720 (Faro).