Turismo: mercados dos EUA e Canadá crescem mais de 15% em junho

    Turismo mercados dos EUA e Canadá crescem mais de 15 em junho

    Apesar da quebra no número de dormidas, os proveitos do turismo subiram 7,5% em junho, com o mercado interno a registar um aumento de 3,4% nas dormidas.

    Em junho, os estabelecimentos hoteleiros e similares registaram 2,1 milhões de hóspedes e 5,8 milhões de dormidas, o que corresponde a variações de 0,0% e de -2,9%.

    Em junho, destacaram-se os crescimentos nos mercados norte-americano (+15,9%) e canadiano (+14,9%).

    Nos primeiros seis meses do ano, o realce vai para os mesmos mercados (+18,7% e +12,0%, respetivamente) e ainda para o brasileiro (+11,7%).

    O mercado britânico e o alemão registaram diminuições. Apenas o espanhol aumentou 1,5% e foi, entre os cinco principais mercados emissores, o único que apresentou crescimento em junho.

    Os proveitos totais aumentaram 7,5% (+9,0% em maio), atingindo 376,7 milhões de euros. Os proveitos de aposento cresceram 7,8% (+10,4% em maio), ascendendo a 278,6 milhões de euros.

    Dormidas

    Em junho, as dormidas de residentes cresceram 3,4% enquanto as dos não residentes diminuíram 5,1%.

    O primeiro semestre do ano registou um aumento de 2,6% nos hóspedes e de 0,5% nas dormidas. Nos primeiros seis meses do ano, as dormidas dos residentes cresceram 3,9%. Apenas as dos não residentes apresentaram um decréscimo de 0,7%. No primeiro semestre de 2018, destacaram-se os crescimentos de 6,6% nas dormidas no Alentejo e de 6,2% no Norte.

    Em junho, as dormidas de residentes aumentaram na maioria das regiões, com destaque para o Algarve (+8,5%). Nos primeiros seis meses do ano registaram-se aumentos em todas as regiões, com exceção da RA Madeira.

    Estada média

    A estada média (2,80 noites) reduziu-se 2,9%, por efeito quer dos residentes (-0,2%) quer dos não residentes (-3,1%). As maiores reduções ocorreram no Alentejo e Centro (-4,4% em ambas).

    Taxa de ocupação

    A taxa líquida de ocupação-cama (59,8%) reduziu-se 2,2 p.p. em junho.

    Proveitos

    Apesar da quebra em alguns mercados, os proveitos totais atingiram 376,7 milhões de euros e os de aposento 278,6 milhões de euros, crescimentos de 7,5% e 7,8%, respetivamente.

    Também o rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) foi 64,4 euros em junho, o que se traduziu num aumento de 7,2%.

    A evolução do RevPAR em junho foi globalmente positiva com os maiores aumentos a verificarem-se nas Pousadas (+11,5%) e nos hotéis (+7,2%), com realce, nestes últimos, para as unidades de cinco estrelas (+9,1%).

    Fonte: INE