A formação profissional nas empresas

    A formação profissional nas empresas

    O paradigma da formação profissional em Portugal está a mudar, e já começa a ser vista como um importante veículo de valorização, quer para o trabalhador quer para a empresa.

    Assim, para as empresas, a importância da formação profissional tende a não se resumir ao cumprimento legislativo do Código do Trabalho, já para os Colaboradores deixou de ser visto como uma perda de tempo ou uma simples obrigação para manter uma certificação em determinada área.

    De uma forma breve, o Artigo n.º 131, relativa à subsecção II – Formação Profissional, do Código do Trabalho, refere/obriga que a entidade empregadora deve garantir, em cada ano, um número mínimo de trinta e cinco horas de formação contínua a cada trabalhador. Já quando se trata de um contrato a termo por período igual ou superior a três meses, a lei impõe um número mínimo de horas proporcional à duração do contrato no correspondente ano; além disso, em cada ano, o empregador deve garantir formação contínua a pelo menos 10% dos trabalhadores da empresa.

    Pretende-se com formação incrementar a produtividade e rentabilidade, que com a formação profissional contínua é uma das soluções para elevar esses níveis de produtividade e rentabilidade, a garantia a validação de conhecimentos, reavivar e atualizar conhecimentos, diferenciação dos profissionais e ainda a inserção profissional.

    O mundo atual está em constante mudança e evolução, exigindo às empresas cada vez um maior esforço no sentido de se manterem atualizadas e de acompanharem a evolução do mercado. Paralelamente os consumidores estão cada vez mais exigentes e conscientes das suas necessidades e dos seus direitos e deveres, fazendo com que o sucesso e o fator distintivo das organizações passe essencialmente pela qualidade dos serviços prestados.

    O desenvolvimento das capacidades competitivas das organizações, dotando-as, através de formação específica, de novas competências e métodos de trabalho que contribuam para um aumento dos seus padrões de qualidade, fornecendo, em última instância, um melhor serviço ao consumidor final, com mais qualidade e mais diferenciado, contribuindo assim para uma maior satisfação do mesmo e para uma melhoria competitiva das empresas.

    Desta forma a NEOMARCA assume a Formação Profissional como área estratégica, no âmbito da sua intervenção alargada à área geográfica que abrange, atuando nos domínios da conceção, organização e promoção, desenvolvimento e execução de intervenções e conteúdos formativos.

     

    Mafalda Gomes

    Coordenadora Pedagógica de Formação